O Centro Cultural foi fundado em 1998 na cidade de São Bernardo do Campo, estado de São Paulo. Ele é resultado do processo de articulação e mobilização envolvendo diversos militantes do Movimento Negro, Agentes Pastorais Negros, sindicalistas ligados à sociedade organizada e às comissões de fábrica dos trabalhadores da região do ABC. Essa mobilização resultou no projeto de criação de uma entidade com um programa de ação, cuja proposta pedagógica tem como referência fundamental, a cultura afro-brasileira. Em maio de 1998, durante atividade de intercâmbio junto às Comissões de Fábrica e Sindicato IG Metall da Alemanha, o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e trabalhadores da Volkswagen, sindicalistas de São Bernardo foram consultados pelos sindicalistas alemães sobre a idéia do envolvimento dos trabalhadores da Volkswagen em projetos de apoio a crianças em situação de rua.


 

 

 

Tão logo que voltaram da Alemanha, os sindicalistas de São Bernardo iniciaram contatos e discussões sobre o tema na comissão de fábrica dos trabalhadores na VW Anchieta, em São Bernardo do Campo, e no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

 

 

 

 

 

 

Por meio do processo de discussão da reunião da comissão de mobilização na sede do sindicato dos metalúrgicos, esta questão foi levada à diretoria do sindicato e a coordenação da Comissão de Combate ao Racismo, que tomando conhecimento da proposta, manifestou interesse em levar á questão aos sindicalistas alemães, obtendo êxito para o desenvolvimento do projeto. Após três meses de trabalho, o grupo concluiu a elaboração do mesmo, iniciando o atendimento de crianças e adolescentes em situação de rua, da região do Riacho Grande, bairro do municipio de São Bernardo do Campo e seu entorno.


 

 

Aproximadamente um ano depois das discussões na Alemanha, que envolveram sindicalistas do Grupo Intersoli, da Ig Metall e da Comissão de Fábrica dos trabalhadores na Volkswagen em Wolfsburg, a proposta da campanha “Uma Hora para o Futuro” foi lançada por Klaus Volkert, presidente do Comitê Mundial dos Trabalhadores na Volkswagen em maio de 1999, durante conferência em Barcelona.

 


 

 

 

A proposta é desenvolver uma ação de arrecadação de fundos junto aos trabalhadores nas plantas da Volkswagen na Europa, especialmente na Alemanha, em apoio a projetos com crianças e adolescentes em situação de rua na África do Sul, Brasil e México.
Como parte da iniciativa, foi estabelecido um convênio com a agência de cooperação internacional “Terre des Hommes”, sede Alemanha, por meio do qual seriam prestados serviços de assessoria técnica para elaboração, implementação e monitoramento de projetos.

 

O projeto de apoio integral à criança e ao adolescente do Centro Cultural foi apresentado e aprovado pelo Comitê Mundial de Trabalhadores na Volkswagen no início do ano de 2000. A partir de 2003, iniciou-se o trabalho nas comunidades com o objetivo de atender às crianças e suas famílias no ambiente onde vivem, assim como fortalecer a comunidade por meio de um trabalho voltado aos direitos da criança e do adolescente e da educação para o combate á discriminação racial.